Assista o conteúdo de Mestra Cheng Yen e veja abaixo as reflexões das voluntárias!






Reflexão da voluntária Hiroko


"Muito interessante essa estória contada pela Mestra.

Segundo a estória contada, nós somos fruto do meio em que vivemos, ou seja, sofremos influência do ambiente em que vivemos, criando hábitos errôneos.

Um desses hábitos é a teimosia. O teimoso não costuma ouvir nem aceitar opiniões alheias. Age conforme seu livre arbítrio.

Isso traz consequências graves, pode prejudicar o grupo inteiro por conta dessa teimosia.

Segundo a Mestra, devemos nos esforçar para eliminar esse mau hábito e termos relacionamento harmonioso com os demais."




Reflexão da voluntária Solange


O treinamento de 18/10/2020, foi mais um momento importante de reflexão de vários pontos importantes, destaco alguns:

- Temos que assumir compromisso e executar nossas atividades sem achar que temos o poder, sem disputas; ouvindo com paciência e dedicação, procurando criar um ambiente de harmonia e tomando decisões baseadas nos princípios;

- Admitir o próprio erro, entender as críticas como ensinamentos que fazem parte do processo de auto aperfeiçoamento;

- Apesar de sermos influenciados pelo ambiente que vivemos, devemos também aprender com os acontecimentos externos, treinando nossa mente e coração;

- Ouvir com gratidão as sinalizações de outras pessoas, referentes a possíveis pensamentos ou comportamentos inadequados, que podem trazer prejuízo pessoal e coletivo, estando aberto a mudança no mínimo sinal de risco, antes de resultar em um problema maior e, as vezes irreversíveis.

Gratidão por todo aprendizado!




Depoimento da Ione

"Deyse! Foi muito boa essa reflexão. Temos que estar atentos, aos nossos costumes de ser sempre os donos da verdade, Não ouvir as outras pessoas, são essas situações que muitas vezes nos prejudicam."




Depoimento da Maria Marlene


A história que a Mestra nos contou, faz referência de como as nossas atitudes, podem nos levar a pensamentos equivocados, de diversas situações do nosso cotidiano. Isso acontece de diversas formas, como em nosso trabalho, família e com as pessoas em geral. Na maioria das vezes, o nosso orgulho faz com que, não enxerguemos além das nossas próprias convicções, sendo por vezes muito equivocadas. A nossa teimosia e o orgulho, faz com que julguemos determinadas ações, baseadas em nossas experiências, isso não nos dá o direito de apontarmos as falhas do próximo, sendo que também poderemos cometer os mesmos equívocos e desenganos. A nossa evolução é diária, e somente podemos aperfeiçoar a nós mesmos. Em relação ao próximo, cada um está em seu próprio caminho de evolução, e devemos no que nos couber, ajudá-lo a seguir esse caminho, se ele assim desejar esse auxílio, sempre respeitando o seu livre arbítrio.


Voluntária Cida















Irmão Felipe e sua esposa.


2 visualizações0 comentário